NAVEGUE PELA COBERTURA EDUCOMUNICATIVA REALIZADA POR 100 ADOLESCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

3 de maio de 2009

Domingo, Maio 03, 2009 - gripe dos porcos, frangos e salmões (modo de produção doentio)

O assunto dos últimos dias é a possível pandemia de uma gripe de vírus que se hospedam em suínos e que podem contaminar, se hodpedar e retransmitir nos seres humanos. (aqui quem mais entende disso pode me corrigir)

Na imprensa, na maioria, em vez de comunicação séria se vê alarme e aquela alegria incontida de: temos do que falar!!! (temos o que vender)

Mas, hoje estou cozinhando salmão. Amo salmão e lembro com saudade um prato soberbo que comi em Puerto Varas, no Donde El Gordito, regado a cerveja nativa (perdão!). Sou um pouco heterodoxa sincrética em relação as combinações comida - bebida. Meu salmão de hoje será desgustado com vinho tinto caménére In Situ, safra 2005.

Foi aí que me lembrei do assunto da semana e de algumas coisas que havia lido sobre o salmão criado em cativeiro. Resolvi escrever (um pouquinho) e linkar textos que merecem ser divulgados.

Assim como a crise econômica é mais uma das crises do capitalismo anunciadas por Marx no século XIX, as possíveis pandemias já foram amplamente anunciadas por cientistas que alertam para o perigo de produzir como produzimos. Mesmo os alimentos!

É claro que Marx não previu a gripe aviária e nem outra, mas é claro, também, que elas estão dentro deste mesmo movimento de crises cada vez mais graves que se originam em nosso modo de produção dominante.

Mészáros (2007) aponta que vivemos numa economia do desperdício, um "desenvolvimento determinantemente dominado pelos limites inescapáveis da quantificação fetichista" e não existem critários e nem medidas para que isso seja contido.

A nossa produção que não mata a fome. mas enriquece alguns, vai certamente matar muitos pelo que desencadeia. Isso está apenas começando.

Mais importante que acompanhar o Jornal Nacional, com as ridículas máscaras e entrevistas ensaiadas é ler informação séria:

:: Estamos doentes e a culpa não é da gripe suína - O Escriba

:: A gripe suína e o monstruoso poder da indústria pecuária - Agência Carta Maior

:: Sobre a gripe suína - Miriam Salles
Marcadores: saúde


postado às 13:43 por Suzana Gutierrez
[ link permanente ] [] [ links para este post ]

por Carmen Gattás

Um comentário:

Canta AMBiente disse...

Miriam,parece que todos tomam a natureza como concedida,não é nada,está aí para ser esgarçada, apedrejada, arrancada, suja, poluída...Saúde em xeque,floresta Amazônica sendo devassada, fundo dos mares e oceanos cheios de lixo...e a humanidade ainda parece achar graça!
Sds,
Angélica